SLIDE

19 setembro 2016

Depressão, ansiedade e tantas outras fobias (sim, eu já tive)!

Olá gente, tudo bem com vocês?
Sempre gosto de escrever aqui quando estou pra cima, positiva e super motivada, mas pensei porque não escrever quando a minha vida também não está tão legal assim né?

Vamos ao início, sabe que eu tinha preconceito com depressão, síndromes e fobias, assim como muita gente hoje em dia. Eu simplesmente não aceitava que pessoas aparentemente "normais e felizes" fossem desenvolver essas doenças, medos e entrar em estado de angústia sem fim, até presenciar isso na minha própria vida adulta.




Eu sempre fui muito independente e bem livre no mundo, digamos! kkkk
Morei em algumas cidades diferentes para estudar e até sozinha fora do país e não imaginava que um dia começaria a ter medo de ficar longe de casa para fazer qualquer coisa que fosse. E isso começou logo depois que eu terminei a faculdade de moda, depois que vim embora de São Paulo para o interior.



Uma coisa que poderia ser totalmente diferente né gente? Muitas pessoas têm desespero de pensar em morar em São Paulo, aquela cidade enorme com tanta informação e eu fui logo me desesperar em vir embora para um lugar mais calmo, no interior.

Tive alguns problemas que todo mundo passa quando se forma na faculdade, como a falta de trabalho na área, cobrança de todos os lados, insegurança e passar a depender financeiramente do meu namorado (ou marido) nesta fase, já que tínhamos decidido morarmos juntos e eu estava procurando trabalho.

Resolvi que iria trabalhar em São Paulo de novo, nem que pra isso eu tivesse que morar lá durante a semana! Bem, fui, comecei a trabalhar em São Paulo (que era bem longe da cidade onde eu estava morando) e acabei no hospital, vomitando, com fraqueza e tendo crises de choro.

Claramente não era o mais certo a fazer né, já que eu não estava bem, a última coisa que eu teria que fazer era voltar para SP sozinha e começar de novo, viajando todo final de semana para ter a companhia do namorado (marido) ou para outra cidade ainda, para ver a família.

Pedi as contas e não conseguia mais ter chão na minha vida, tudo era difícil, tudo me fazia chorar e ficar doente com facilidade. Acabei entrando em outra empresa que não deu certo, fiquei uns meses e quando parecia estar tudo bem de novo, comecei a presenciar um clima horrível no trabalho que fez com que minhas crises de choro voltassem em pleno expediente e aí voltou tudo de novo!

Tinha enjoo, chorava fácil, me matava de trabalhar (passava das minhas horas sempre) para poder me acostumar com aquele clima ruim, falava pra mim mesma, que eu tinha que ser forte e que aquela briga na fábrica não podia me afetar. Até que não aguentei, pedi demissão, meu chefe tentou me fazer ficar, porque eu era esforçada, mas eu fui bem enfática em dizer que não queria mais aquilo pra mim!

Até que decidi me tratar (não foi fácil, nunca é fácil falar que você não está com condições emocionais para seguir com a vida). Jamais pensei que um dia eu iria precisar de um psiquiatra, mas sim, foi lá mesmo que a minha vida começou a voltar nos eixos.

Ele me diagnosticou com depressão, síndrome de ansiedade e gastrite nervosa que me impedia de comer, passava mal fácil, tinha taquicardia, tremores e queria ficar na cama o dia todo. E ainda tinha crises esporádicas de choro.

Não foi fácil, mas eu estava completamente inútil para uma pessoa jovem que sempre morou longe dos pais, trabalhava, viajava e estudava. E de repente se vê com medo de levantar da cama ou de ir em qualquer lugar que fosse, com receio de passar mal e com o pavor de vomitar!

Eu evitava entrar nas redes sociais e até mesmo conversar com meus amigos (isso que me considero super sociável), porque parece que todo mundo era feliz, menos eu.

E foi nessa fase, sim, nessa pior fase da minha vida, que eu tive a ideia de criar este blog, este cantinho que divido com vocês um pouco do meu estilo de vida, beleza, moda e produtos que testo e funcionam em especial para a hiperidrose (meu tema favorito).

Não me sinto totalmente curada, mas já parei com a medicação faz algum tempo e consegui um emprego que realmente me deixasse feliz, mas é preciso uma vigilância constante para essa tristeza interna.

E escrever aqui e ajudar vocês de alguma maneira, nem que seja para falar, que vocês não estão sozinhos, me ajuda e muito!

Então se você está triste por qualquer motivo que seja, aquela angústia ou medo que te paralisa, não hesite em procurar ajuda médica e fique perto de pessoas e ambientes que te façam bem. Não tenha vergonha e nem preconceito de estar doente!

Saiba que você não está sozinho nessa, você vai encontrar um emprego em que se adeque, vai encontrar um amor que te compreenda e te apoie. Enfim, vai ser feliz em ter que levantar da cama todos os dias pra viver!

Não tenha vergonha de procurar ajuda médica, tá?

Beijos gente, fica com Deus e prometo que o próximo post vai ser mais feliz e com menos textão! <3


7 comentários:

  1. Parabéns pelo blog ♥

    ResponderExcluir
  2. "vai ser feliz em ter que levantar da cama todos os dias pra viver!". Obrigada pela positividade.

    ResponderExcluir
  3. Isso mesmo, levanta a cabeça e vai ser feliz. :D

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo blog!

    Bem, eu tenho uma doença que dê fato voce conhece a HIPERIDROSE,mais excessivamente nas axilas, um pouco nas mãos(que me incomoda) e nos pés( que não ligo).
    Isso acaba comigo, morro de vergonha em levantar os braços e ter aquela enorme pizza em baixo dos braços e até mesmo um aperto de mão ( não chega a pingar, mas dá pra ver as minhas mãos quando começam a suar).
    Já vi vários vídeos seu, em que você fala sobre esse tema é diz sobre os antitranspirantes etc.., porém eu queria muito ultilizar sem preocupação alguma, todavia vem os receios de que mesmo sem ser comprovados o uso de SAIS DE ALUMINIOS taís como:cloreto de alumínio, cloridrato de alumínio entre outros, venham causar o câncer de mama.
    O queeu faço,continuo na sofrencia de suar excessivamente ou me arrisco em usar um driclor,obadan ou um antyhidral da vida?
    OBS:SOU HOMEM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho. Não existe nenhuma comprovação científica que comprove a relação com câncer. Pode usar sem medo! A primeira vez que foi me apresentado esses antiperspirantes, foi meu próprio médico que receitou a fórmula do Driclor! =D

      Excluir
  6. Ola!
    Tenho depressao e uma ansiedade absurda desde criança. Mas so me dei conta disso três anls atrás. Eu acahava q era da minha personalidade pq nunca tive parâmetro do q era estar bem.
    Na primeira semana com medicamentos ,cinco dias pra ser mais exata eu sentia um silêncio ,um silêncio muito bom, era so eu e meu corpo indo pra vida. Sempre digo que a sensação que tive foi de que passei mais de vinte anos em meio a uma guerra, e de repente ela acabou.
    Ainda tenho recaídas por conta de preconceitos que sofri na infância e adolescência, mais distúrbios de sono aff, um problema em cima do outro
    A terapia ajuda bastante nessas horas.
    Mas temos q estar sempre alerta pra nao cair novamente e aprender a lidar com pessoas q nao entendem o nosso lado. Uma hora as coisas se acertam, so nao pode se entregar. Se bem q muitas vezes me canso das recaídas e me pego pensando se vou e ate quando vou aguentar. Mas, ainda nao desisti.
    Vim parar aqui por causa de resenhas do driclor e odaban kkkkkk.
    Felicidades a vc!

    ResponderExcluir